domingo, 15 de abril de 2012

M 44: Um Estranho no Ninho


M 44-- 12 exp.x20 sec. DSS.


M 44 é uma espécie de estranho no ninho no catalogo Messier.
Conhecido desde a antiguidade este objeto  não seria confundido, com a ajuda de qualquer auxilio ótico, com um cometa nem mesmo por uma criança.
 Aratos já havia registrado a nebulosa em 260 A.C. Ptolomeu o inclui em seu Almagesto.  E Galileu o resolveu em estrelas:
“... A nébula chamada de Presépio, que não é uma única estrela, consiste de uma massa de aproximadamente 40 pequenas estrelas.”
Ele possui diversos nomes. Os mais famosos são aglomerado da Manjedoura e/ou Presépio (Praesepe) e Aglomerado da Colmeia.
 O primeiro nome surge do fato de ele ser escoltado no céu por duas estrelas da constelação de Câncer . Respondem pelos graciosos nomes de Asselus Australis e Asselus Borealis. Os “burrinhos”.
 O segundo me parece um pequeno equivoco. Deveriam chama-lo de enxame. Foi exatamente o que vi quando o visitei a primeira vez. Ao ver este pela minha buscadora 9x50 é exatamente como um enxame de abelhas. Só falta fazer barulho. Escolha você o coletivo que mais lhe agrada...
Para localizar M 44 inicie pelos gêmeos,Castor e Pollux. As estrelas mais brilhantes em Gêmeos. O gêmeo mais ao norte é Castor. Ele é azul. Mais ao Sul vem Pollux com seu brilho amarelado. Nossa régua é a distancia entre os irmãos. Caminhe três vezes a distancia entre eles para o sul depois de mais um passo a direita (LESTE). Agora você deve estar mais ou menos no meio do caminho entre Pollux e Regulus (Alpha Leo). Duas tênues estrelas devem ser visíveis. São os “burrinhos”. Uma nebulosa deve ser percebida entre eles. É a manjedoura de onde eles se alimentam. Em ambiente suburbano os "burrinhos” serão visíveis. Já a manjedoura vai depender. Em céus rurais M 44 é evidente. Resolver estrelas individuais a olho nú é um indicio de visão muito apurada e de condições excelentes para observação. Um desafio...
Olhando pela buscadora o aglomerado será obvio e muitos de seus membros devem se resolver.
Pelo telescópio cerca de 50 estrelas serão visíveis. Você vai perceber diversas duplas. Muitas das estrelas do Presépio são bem brilhantes. Entre 7ª e 8ª magnitude. Quatro delas são claramente alaranjadas. A menos que você possua uma ocular bem grande (35 ou 40 mm) terá que dar uma escaneada para cobrir todo o aglomerado.
Assim como a Plêiades esse é um bom alvo binocular. È um aglomerado brilhante e grande e a muitas de suas estrelas resolvem-se com pequena magnificação.
Você esta observando um aglomerado aberto que possui aproximadamente 400 membros e que se espalham por uma área de aproximadamente 15 anos luz. Localizam-se a pouco mais de 500 anos luz de nós (um pouco mais distante que as Plêiades). Alguns de seus membros já se apresentam como gigantes vermelhas e podemos imaginar que este aglomerado tenha uma idade de 400 milhões de anos ou mais.  Um aglomerado relativamente antigo.
O satélite Hipparchos constatou que tanto M 44 como as Hiades ( aglomerado aberto facilmente visível em Touro junto a Aldebaran) podem ter uma origem comum. A direção e movimento próprio  são semelhantes e ambos aglomerados , hoje separados por alguma centenas de anos luz , podem ter se originado de uma mesma grande e difusa nebulosa gasosa em um passado agora distante.
Hiades- 1x 15sec 300mm F4
Sua presença no catalogo Messier é curiosa. As entradas de numero 42, 43, 44 e 45 do catalogo Messier foram incluídas e tiveram sua posição estabelecida na noite de 4 de março de 1769. Todos estes objetos fogem da característica básica para a inclusão no catalogo. Este deveria servir como referencia para caçadores de cometas, que assim não perdessem seu tempo com objetos que os poderiam confundir.
 O Catalogo Messier é o único catalogo da história que incluía objetos para não serem observados.
Algumas línguas alegam que a inclusão destes objetos foi apenas para que a primeira versão do catalogo apresenta-se mais entradas que o catalogo organizado por Lacaille sobre nebulosas do hemisfério sul. Este possuía 42 entradas.
Como a história é irônica. Observar o catalogo Messier se tornou uma das maiores conquistas do astrônomo amador.
P.S. Escondidas entes as estrelas de M44 existem algumas galáxias. Ao alcance de telescópios amadores grandes. Boa sorte...

Nenhum comentário:

Postar um comentário