Translate

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Milagres na Pascoa e Astrofotografia

               
  
           
                 2014 começou  cinzento. O primeiro feriado grande do ano foi a semana santa. Este ano uma semana santa sem grandes razões para se comemorar. Minha sogra faleceu de uma forma bastante repentina e de um mal sem cura.
                Nunca fui um homem de muita fé e menos ainda de igreja. Somente fui em missa de  sétimo dia e olhe lá... Mas a vida nos reserva surpresas.  E assim fui pela primeira vez a uma missa de um mês de falecimento .  Por uma coincidência  calhou de ser na Quinta Feira Santa.   Percebi logo que era uma missa diferente. Havia mais padres que o previsto e uma mesa com varias cadeiras   próxima ao altar.
                Antes de começarem os trabalhos fui interpelado por um dos padres. O mais jovem deles. Como já disse haviam vários padres cercando o altar . Parecia até um conclave. O jovem de batina me perguntou se eu poderia ser um dos apóstolos  e percebendo que o rapaz estava com um problema de quorum ( havia muito poucos homens na igreja)aceitei o convite sem muita convicção.. Não  entedia bem o que aquilo significava  e achei de bom tom ajudar.    Não queria tumultuar a missa de  um mês do falecimento da mãe de minha esposa.
                Já havia percebido que a liturgia do evento  era bem diferente das missas que já fui. Mas como nunca tinha ido em uma missa de um mês achei que poderia ser assim.
                O padre inicia os trabalhos e explica que embora a missa fosse relembrar a sogra era também uma missa importante pois a partir daquele momento a igreja começa a celebrar Semana Santa. Aquele serviço era importante de alguma forma para religião católica e eu continuava inocente puro e besta. A missa era meio cantada apesar de eu achar que o padre não tinha nem ritmo e nem tom.  Depois de duas leituras ( o que já era bastante atípico para pagão aqui) o padre inicia a homilia. E pelas imagens que são projetadas em um monitor percebo que algo ia muito mal. Estava lá a imagem de Jesus lavando o pé de Paulo (ou seria Pedro...).
                Caiu a ficha. Era a tal missa do Lava-Pés. E o meu pé era um dos que ia ser lavados.
                Abateram-se terríveis duvidas teológicas sobre a minha pessoa.
                Estaria eu com muito chulé?
                Será que cortei as unhas no ultimo mês? 
                Minha meia seria apresentável?
                Em respeito a minha sogra prefiro calar sobre minha incertezas e vou em frente. Senti  uma certa pena do padre mas nada a fazer. Achei melhor também não contar a ninguém sobre o fato de  que nunca fiz a primeira comunhão.  Mas se entendera algo da Homilia  o padre disse  algo sobre jesus ter falado a   Simão Pedro ( ou seria Paulo?) que bastava   este já  ter molhado a cabeça e que por isso ele não era necessário uma lavagem completa...  Eu fora batizado pouco tempo depois de nascer. Reza a lenda que fazia tanto frio que o padre esquentou a agua benta... Fui batizado com chá .
                Devido a severa dieta que o meu médico me receitou me encontrava quase em jejum. Depois de ter os pés lavados me achava quase um santo...
                Na manhã seguinte  opero o meu primeiro milagre. Convenço minha esposa a ir até Búzios no Sábado de Aleluia
                Desta forma  terei a chance de fazer um ataque ao reino das galaxias em Virgem. E também dar uma olhada em Júpiter , Marte e Saturno aos quais ainda não havia visitado este ano.
                Lógico que não poderia ser tão fácil. O Carro vai abarrotado e não tenho a chance de levar o "Newton" comigo. E imbuído de muita fé resolvo realizar um ataque a mais difícil das sequências do Catalogo Messier levando apenas o  meu 15X70. Já tinha lido ( provavelmente em algum livro do Phill Harrington) que se não todas as galaxias do catalogo que residem em Virgem  são acessíveis a este equipamento pelo menos um grande numero se encontraria ao meu alcance.
                Claro que também quero fazer uma fotos. E assim resolvo levar um Set Up que coubesse no veiculo. A Cabeça EQ 2-3 com apenas o motor de RA. e a Câmera com sua lente normal ( 18-55 mm) e a tele (75- 300 mm) .. Descobri há algum tempo que é fácil adapta-la a cabeça equatorial usando o bridge plate de meu tripé fotográfico l.
                Como sempre a chegada em Búzios vira uma festa e eu acreditando que o céu seria limpo para sempre deixo para o dia seguinte qualquer tentativa  de observação... Afinal estou abençoado.
                 Pouco tempo depois  uma garrafa de Cousino Macul  e  uma zurrapa mais barata estou mais para possuído.   Nada de astrofografia. Os resultados da vinhaça são evidentes nas fotos abaixo...



                Domingo de Pascoa  amanhece bonito e tudo parece que vai dar certo. De manhã escondo os Ovos das crianças debaixo de um sol radiante. No fim da tarde nem tanto e a noite não se vê nem uma estrela no céu. Começo a achar que deveria ter contando a padre sobre a Primeira Comunhão...
                Segunda feira e acordo bem cedo. A cobertura de nuvens embora não tenha se dispersado parece que vai dar um alivio. Vamos todos para praia.
                Apesar de nuvens cercando todos os horizontes eu acredito ( momento de fé...) que conseguirei  fotografar algo e assim alinho a cabeça e monto o câmera sobre os badulaques. Um rápido alinhamento polar e tudo certo. O céu começa a escurecer e com este ainda bem claro Júpiter e Sirius se acendem quase simultaneamente.
Júpiter ainda de dia...
                 Betelgeuse logo após e pouco depois percebo Marte nascendo por entre as palmeiras do jardim.
video

                Existe muita nebulosidade onde não há nuvens. Percebo que as galaxias de Virgem se afastaram ainda mais. E olha que elas estão a mais de 15.000.000 AL de nós. Não vou ver nem M87...
                Mas começo a fazer  diversas fotos com a 18- 55 e apesar dos resultados mais artísticos do que astronômicos percebo que sera possível tirar leite de pedra...
                Brinco com Órion. Depois em algum lugar entre Virgem e o Corvo. 
Órion


Lost in Space.  Algum lugar entre Virgem e Corvo...

                Já com  céu mais escuro  pego o 15x70 e faço um tour pela via láctea e assim percebo diversos aglomerados abertos velhos conhecidos. Um amigo mais recente ( Ngc 4103) aparece para o "Pau de Dar em Doido" ( meu binóculo) de forma discreta e percebo que a transparência é muito pouca. Mas não me dobro. Troco a lente da câmera e parto para maiss fotos.
                Não posso deixar de registrar Marte e Spica dominando o Horizonte leste. E arrisco alguns tiros aleatórios pela região de Virgem . Vai que acontece um milagre e o sensor da Cânon registra uma das galaxias que tanto planejei... 
                Não acredito em milagres e nem em bruxas "mas que las hay las hay".
                Depois de processar algumas imagens feitas um pouco mais tarde   eu percebo (em todos os modos do Rot n´n Stack) uma nebulosidade abaixo de Marte. Parece uma galaxia. Depois de uma rápida pesquisa no Cartes du Ciel descubro que a posição é extremamente próxima de Ngc 4883. É uma galaxia bastante escura. Mas que em tese seria viável para uma série de exposições de 30 seg. com o diafragma em F4,5. Lentes fotográficas são muito claras.  Fosse eu mais crente sairia por aí gritando:
                 -É Ngc 4843!
                 Vou na onda pois afinal estamos na  Pascoa e existem registros históricos de gente voltando dos mortos durante o período. Uma obscura galaxia de 13a magnitude e nas bordas do aglomerado de Virgem  e a mais de 20.000.000  de anos-luz mostrar sua cara depois de muito pós processamento   não seria razão para minha canonização.   Nos modos mais discretos do Rot n´Stack a galaxia é apenas uma pequena condensação. Já no "Modo Pirotécnico" ( Sort Mode) do programa ela se apresenta claramente como uma galaxia em espiral. Depois de alguma pesquisa o formato dela bate com ao da Galaxia descoberta por William Herschel ( S0-a) . Sua posição parece um pouco fora de esquadro com o Cartes do Ciel . Mas isto acontece com uma certa frequência. Milagres são exercícios de fé. E assim me dou por satisfeito com a suposta captura.  


Modo Max do RnS e mais contraste com o PhotoShop CS5


                      De qualquer forma Marte e Spica formam uma bela imagem... ( Foto de Abertura do Post)
                Com  um velho refrator  sem buscadora e mirando com cuidado enquadro Saturno que vai nascendo. É sempre bom para apresentar algo para os incautos que ficam curiosos sobre o que você esta a fazer em vez de estar comendo churrasco.  Saturno sempre deixa os leigos de queixo caído e eles até acham você um cara legal .
                Descubro ainda que a Barlow Starwatch  mais a Cânon e o velho refrator Celestron não conseguem chegar a um acordo sobre o foco . E assim continuo frustrado como um astro fotografo planetário. Esta leva o dúbio título de   "A Pior Foto de Todas as Fotos Ruins que já Tirei do Senhor dos Anéis".
                Resolvo me voltar para o Sul e fazer fotos da Via Láctea . Algumas utilizei acompanhamento . Outras não. Os resultados foram os mais diversos.
As nuvens tomam um ar mais dramático no Rot n´ Stack. Não estava tão ruim assim... A região é uma das partes mais bonitas da Via Láctea. Entre o Cruzeiro e Carina. É possível perceber diversos DSO´s.  ( Modo Max do RnS)
11 exposições de 20 sec Lente 18-55 mm. Com acompanhamento.



                A grata surpresa é que brincando pelo Centauro consegui ( ainda que de forma bem discreta) registrar uma galaxia. Centauros A se apresenta discreta mas evidente para o C-Mos da Cânon. Acima de Omega Centauro. Apesar de nenhum acompanhamento acabei por registrar uma galaxia. É incrível o que câmeras digitais podem fazer. Mesmo com set ups bastante modestos.   Centauros A não é uma galaxia difícil de se localizar . Mesmo com o meu 10x50 mm ela se apresenta como uma pequenina condensação. Muito semelhante ao que percebo na fotografia.  Como 15X70 ela é bastante evidente embora ainda pequena.
10 exp. entre 20 e 30 seg. com Asa 3200.  Lente 75-300 mm . Sem acompanhamento.

                Centauros A ou Ngc 5128 são o mesmo ente cósmico. Dona de múltiplas personalidades é também C 77 no catalogo Caldwell. É uma das galaxia mais estudadas do hemisfério Sul. Ela esta passando por uma colisão e canibalizando uma outra galaxia em espiral. O resultado é que a mesma se torna uma galaxia lenticular. É a 5 galaxia mais brilhante do céu.  Possui um núcleo ativo fruto de um buraco negro super massivo que devido  a colisão tem muita comida a disposição...  Graças a  esta super alimentação ela se torna também uma radio galaxia arrotando em Raio X . Um objeto de grande valor cosmológico e ao alcance de quase qualquer instrumento ótico.   Com múltiplas exposições e uma moderna câmera digital seu registro não me classifica nem para coroinha...  

                Já bem mais tarde e com a luzes apagadas o horizonte sul dá uma" clareada". E em uma rápida inspeção com o "Pau de dar em Doido"  ainda sou recompensado pela minha fé e obstinação e consigo avistar M4 e fechando a noite M 83. A galaxia do Catavento Austral. Provavelmente o objeto mais difícil de meu querido catalogo Lacaille e também a primeira galaxia a ser avistada fora do grupo Local.
                Terça feira monto novamente o set up de viagem. A Canon com a 75-300 mm sobre a cabeça equatorial motorizada. A noite parece perfeita e a transparência melhor. Vou ao banheiro e quando volto Newgear  ( o do Paradoxo de Newgear...)resolveu me visitar. Finas nuvens se materializaram do nada e não há mais estrelas no céu. Insistente que sou  tento fazer algumas fotos por entre nuvens. Os resultados são mais artísticos que propriamente astro fotografia.  Acho que a terça feira foi mais para Andy Wharol que para "Starry Night".

Júpiter




Marte Anêmico.





                Foi uma Pascoa bem diferente e Astrofotos diferentes também.
                Astrofografia é a melhor diversão.



sexta-feira, 11 de abril de 2014

Ngc 4103 e o Elogio da Loucura

                
               Os últimos meses foram  conturbados. E assim a astronomia em geral e a astro fotografia em particular tiveram poucas chances.
                Em  ato impensado fui ao médico fazer um check up. Logicamente que fiquei adoentado. Com as taxas de colesterol e triglicerídios bastante alteradas descobri uma outra taxa bastante curiosa. Se chama Gama Glutamil. Ou Gama GT para os íntimos. É o bafômetro do figado.          
                Desnecessário dizer que fui posto de dieta e proibido de consumir qualquer tipo de psico ativo.  Astrofotografia parecia ser uma saída possível. Como já falei é a melhor diversão.
                Na semana seguinte fui ao mesmo Dr. Jekyll levar o resultado de meu teste ergométrico. Este, ao contrário das expectativas do meu querido açougueiro, não tinha apresentando nenhum problema. Eu posso dizer todo orgulhoso que minha condição cardio respiratória é boa. Na verdade não eu. O teste.
A Loucura 

                Mas depois de uma semana nas fileiras do exército espartano eu começo a delirar. Ao passar por uma banca de jornal noto entre aqueles pequenos pocket books da L&PM um que me chama atenção. "O Elogio da Loucura"  de Erasmo. Um clássico renascentista onde Mória ( a Deusa da Loucura) faz seu próprio elogio.  Juntamente com "Cândido" (esse uns 200 anos mais jovem) é um dos mais divertidos livros que já li.  
                A "Stonehenge dos Pobres"  tem estado ocupada pelo cercadinho de meu novo rebento . Mas em um ato conduzido por Mória eu resolvo que vou fotografar C 84 ou qualquer outro DSO que fosse emoldurado por minha janela.
                Em seu  auto-elogio a Loucura nos explica o que seria da raça dos homens se a insanidade não os impulsionasse ao casamento. 
                Evidentemente que a "Dona Patroa" acha que sou completamente maluco.  Eu a lembro que de Gênio e de louco todo mundo tem um pouco. Ela apresenta varias  exceções a regra  citando alguns   conhecidos meus. São completamente loucos  mas  levam  na cabeça as orelhas de  um Midas. 
                Lutando também contra o espaço que sempre foi pouco no "Observatório mais Urbano do Mundo"  consigo ali  instalar o "Newton". Sobre o olhar atento de meu filho.
                Apenas ao fazer isto já começo a lembrar de como a ciência é exata.  Arquimedes já dizia que dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo. Com a instalação do telescópio o princípio da impenetrabilidade fica provado acima de qualquer duvida. A cadeirinha tem que sair.
                 O progresso da ciência não pode ser impedido. E lá vou eu realizar o alinhamento polar de novo. Como já foi dito e redito aqui no Nuncius Australis o alinhamento polar  aqui é realizado "No chute" e com precisão quântica. Com o auxilio de uma bussola  identifico onde é o sul. Mas como neste experimento comprimentos como os de De Broglie podem fazer diferença  a bússola do I-Phone não é nem de perto exata o suficiente. Por isto eu começo o esquema "tentativa e erro". Escolho uma estrela e tiro uma foto. Muito "drift" dou um pequeno chute em uma das pernas do tripé e tiro outra foto.  E desta forma dou mais um passo na inexorável marcha da ciência. Comprovo experimentalmente o Princípio da Exclusão de Pauli. Ele é a versão quântica da descoberta de Arquimedes. Graças a ele o meu chute desloca o tripé e eu vou assim afinando o alinhamento polar. E  comprovando que  Pauli e seu antecessor  estão certos  meu pé não atravessa  a perna do tripé.  E espero que a onda gerada pelo meu chute colapse no ponto onde não haverá mais drift. .Quântico.
                 De volta a minha loucura faço uma reserva da sala junto aos outros membros do clã. Entre 9:30 e 10:30 ninguém entra nem acende luzes para eu poder realizar o meu projeto. Afinal como diz Erasmo: "Esta escrito no primeiro capitulo de Eclesiastes: 'O numero de loucos é infinito' Ora esse numero infinito compreende todos os homens com exceção de uns poucos, e duvido que alguma vez se tenha visto esses poucos."
                Como estou  sóbrio a mais de uma semana e a loucura não é tanta o meu projeto é bem realista. C 84 é um DSO bem fácil de se localizar. Na constelação de Centauros  ele vai se encontrar no mesmo campo ocular de M cen. E esta se encontra a meio campo de buscadora de Épsilon Centauros , que é visível mesmo em grandes centros.  M Centauros vai ser a estrela mais brilhante no ao redor de Épsilon.   
                Tenho como plano B visitar Ngc 4103. Ainda no Cruzeiro mas habitando também o Centauro.  Nestas cercanias.  Acrux  esquina  com "A Intrometida". Lambda Centauros é  uma vizinhança próxima que nos permite triangular  a posição deste modesto e obscuro aglomerado aberto..               .
                Voltando a realidade a minha reserva da sala foi solenemente ignorada e C84 ficou para o abraço. Quando me foi autorizado entrar no gramado este  já se encontrava em posição desfavorável para uma uma janela de observação cada vez mais estreita...
        
                 Depois de dar de mamar para a minha pequena cria já vão 1:30 da manhã. 
                A casa toda dorme.
                A mania é prima irmã da Loucura e dependendo da fonte são a mesma pessoa.
                Assombrando a madrugada parto para o plano B.   
               Guiado por uma Mória desvairada passeando nua pelos espaços de Hilbert  busco por Ngc 4103. Partindo de  Acrux faço uma aproximação contando campos oculares pela buscadora . Depois uso o controles lentos da valente montagem EQ 2-3 procurando randomicamente pelo aglomerado em vista.
                 Mais devido a teoria  das probabilidades do que ao colapso de ondas localizo a vitima.  
                 Parece que a teoria das probabilidades e a física quântica também tem  um parentesco...

               
           O aglomerado é pequeno e extremamente discreto pela buscadora. Eu diria algo como 8a magnitude.  Sou uma magnitude mais pessimista que o Stellarium. 
             Discreto e delicado. Surge  entre brilhantes estrelas de campo.  Percebe-se imediatamente duas estrelas que já vão avermelhadas. O aglomerado não deve ser tão jovem assim... Pequeno cobre o centro de minha 17 mm. Conto estrelas na casa das dezenas.  Experimento com a 10 mm e com mais contraste e aumento conto mais estrelas e percebo algumas que "flicam" contra o fundo.  Embora pequeno é cheio de detalhes. Algumas  duplas .
                
                 Seria um pingente nas jóias da Coroa Austral.
                
                 Agora é sério. Vamos fotografar o bicho.
                
                A realidade não parece quântica. Ela é o que é. E nem liga para você. Eu  como tenho que ser realista não tenho nem tempo nem espaço para tentar melhorar muito o alinhamento polar "quântico" que consegui.  Me resta colocar a câmera e ver qual é a maior exposição que consigo. Partindo para a ignorância cravo ASA 1600 na câmera e tento 20  segundos . A menor chance. Adoro minha câmera nova. Marco ASA 6400 e regulo  o obturador para 8 segundos de exposição.
                 
                 Como diz Mória logo no começo de seu discurso : " Se ninguém te louva , Louva-te a ti mesmo".
               
              Fiz varias fotos .  E processa daqui processa Dali obtive um minimo de dignidade no resultado final. As fotos serão referência perfeita para identificação do objeto. Continuo fiel a politica de obter imagens semelhantes ao que se observa pela ocular e totalmente consciente das limitações do set up e do próprio espaço onde este esta montado...  

Esta foto é resultado de um excesso de processamento. Visitou todos os programas de edição de imagem que possuo. Empilhada no Deep Sky Stacker...
11 exposições de 8 segundos ASA 6400 . Rot n´Stack modo Mean.

Mória visita o "Rot and Stack".  O programa tem surtos esporádicos. 

Uma unica exposição ASA 6400 x 10 segundos. Muito semelhante ao que se vai perceber na ocular de 25 mm
                Ngc 4103 foi descoberto por Dunlop em 1826. Foi utilizado um refletor com um espelho de  9 polegadas. Posteriormente John Herschel a descreveu assim: " Rica, Grande , aglomerado irregularmente arredondado; um pobre classe VI ou um rico VII.Estrelas de 10 a 14a magnitude. 5´de diâmetro.Presença de " stragllers."
                Ngc 4103 é  pouco visitado. Um   paper relativamente recente a respeito da mesmo se refere a ´próprio como "Remoto Aglomerado".  Este paper especificamente trata de como é difícil determinar a idade de aglomerados abertos. Eu achei que este não seria tão jovem devido a duas estrelas já avermelhadas. Mas o trabalho de A.E. Piskunof et al esclarece que é necessário determinar o "turning point" do aglomerado em relação a sequência principal para  assim saber quando a estrelas pré-sequência principal adentram na mesma.  Dos aglomerado citados pelos autores Ngc é um dos menos pesquisados e com pior amostragem.
                A idade do aglomerado é alvo de disputas. Os valores variam de um minimo de 6 milhões de anos ( o paper em questão) e 30 milhões de anos (Forbes 1996). Sou mais simpático a Forbes. As duas gigantes vermelhas são claramente visiveis na foto. Poderiam ser duas estrelas  como Fu Orionis. Jovens demais e avermelhadas. Mas ha muito pouca o nenhuma nebulosidade na região.
O DSS aceitou 7 das 11 fotos que mandei ele empilhar. Este é o resultado do empilhamento no Deep Sky Stacker sem nenhum processamento posterior.  6400 ASA x 8 seg.


Esta é resultado do empilhamento no DSS,  Depois fez duas visitas ao Noiseware e passou por alguns procedimentos no Photoshop. Todas as imagens apresetam mais contraste no original. Creio que a compressão do Blogger cause este efeito mais lavado e também um  aumento de ruido.

              Stephen O´Meara o inclui em seu livvro  " Deep Sky Companions : Southern Gems" . Neste ele nos diz que Ngc 4103 esta a aproximadamente 6.800 anos-luz de nós. Outra fonte me garante que seus  fótons viajaram  apenas 3000 anos até se encontrarem com o espelho do "Newton"...
                Mania de Astronomia é um  uma forma  Loucura.   
                Mória me garantiu que  ela não vende franquia..
                Assim   tem de ser a mesma Loucura que que move os risos e os atos de valentia.
8 exposições de 8 segundos empilhadas no DSS. depois vista ao  PhotoShop.




quarta-feira, 9 de abril de 2014

Saturno Dança com a Lua

            Saturno dança com a Lua no próximo dia 17.
            Durante o amanhecer do dia ele passará a menos de 20 minutos ( Rio de Janeiro) do Limbo Lunar.
            Será uma grande oportunidade para a astrofotografia.
             Uma rápida simulação feita com o Stellarium apresenta o evento . O período apresentado é entre 5:00 e 6:00 horas da manhã do dia 17 de Abril de 2014. 
            Na verdade não pesquisei se o evento já foi cantado em prosa e verso por aí.  Mas como o ócio ,as vezes, nos leva a descobertas interessantes e nos permite ficar brincando com nosso programa planetário favorito achei de bom tom avisar.

             Boa sorte e boas fotos..